segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

A LÁGRIMA


- Faça-me o obséquio de trazer reunidos
Cloreto de sódio, água e albumina...
Ah! Basta isto, porque isto é que origina

A lágrima de todos os vencidos!

-"A farmacologia e a medicina
Com a relatividade dos sentidos
Desconhecem os mil desconhecidos
Segredos dessa secreção divina"

- O farmacêutico me obtemperou. -
Vem-me então à lembrança o pai Yoyô
Na ânsia física da última eficácia...

E logo a lágrima em meus olhos cai.
Ah! Vale mais lembrar-me eu de meu Pai
Do que todas as drogas da farmácia!
------------------
In "Augusto dos Anjos: Poesia e Prosa", de Zenir
Campos Reis, Ed. Ática, São Paulo, 1977.
 

SARAU © 2015 - 2016